Rádio Alternativa Sul

O programa do CESVA/FAA, na rádio Alternativa Sul, recebeu o professor João Seixas, docente do curso de medicina, a professora do curso de enfermagem Cíntia Galdino, e o aluno da Medicina Elias Sobreira, falando sobre o movimento Outubro Rosa. Um movimento de extrema importância na prevenção e promoção da saúde de mulheres, realizada para alertar contra o câncer de mama.

FAA em Ação

O FAA em Ação é um projeto de responsabilidade social, realizado através da Extensão Universitária do Centro de Ensino Superior de Valença – CESVA / FAA, e tem como proposta a realização de atividades acadêmicas assistenciais à população carente de Valença e municípios vizinhos. Além disso, visa complementar e enriquecer os conteúdos desenvolvidos em sala de aula, promover o aprimoramento acadêmico, a inserção do aluno na comunidade e a responsabilidade social.

O projeto coloca no campo da prática as teorias aprendidas pelos acadêmicos na sala de aula, de forma a levar para as comunidades alguns cuidados necessários para a promoção do bem estar e da saúde. Oferece importantes serviços essenciais de inclusão e assistência em saúde, com a participação dos alunos de todos os cursos da Instituição, além de proporcionar também momentos de lazer para a população.

Trata-se de um mutirão de solidariedade que oferece testes de glicemia e aferição de pressão pelos acadêmicos da Enfermagem e atendimento médico através dos acadêmicos de Medicina; o atendimento odontológico conta com orientação sobre cuidados com a higiene bucal; o atendimento Veterinário orienta sobre cuidados com os animais de estimação e atendimento clínico; acadêmicos do Direito oferecem orientações jurídicas; os acadêmicos do curso de Gestão de Recursos Humanos e Administração informam sobre mercado de trabalho e gestão de pessoas; além de uma série de atividades pedagógicas para as crianças, com o curso de Pedagogia.

Encerramento da Campanha de Humanização do HE

Na quinta-feira 29, aconteceu o encerramento da Campanha de Humanização do Hospital Escola. O evento contou com a presença dos Diretores do HE, Josiê Nogueira e Thiago José; da equipe de Coordenadores e funcionários do hospital; e da Direção do CESVA, representada pelo prof. Antônio Celso e Dr. Leonardo Ramos. O Diretor do Curso de Enfermagem, prof. Márcio Martins ministrou palestra, com dinâmicas e vídeos interativos. Ao final do evento foi realizado sorteio de brindes para os funcionários e coquetel integrador.

 

Unidade de Tratamento Intensivo

A UTI – Unidade de Tratamento Intensivo caracteriza-se como uma unidade complexa onde o paciente é monitorado continuamente. Essa unidade foi feita para acolher pacientes em situações graves, que exijam acompanhamento e tratamento intensivo, e tenham a possibilidade de se recuperar. Por esse motivo, não são todos os pacientes que possuem características para internação nessas unidades. Trata-se de um ambiente de alta complexidade, onde é feito monitoramento do enfermo 24 horas.

No entanto, em pacientes terminais a internação na UTI não é a solução, visto que em muitos desses casos, nem a tecnologia existente no local é eficaz para a melhora do paciente. Muitos profissionais de medicina acreditam que o “morrer” na UTI, distante de seus entes queridos, caracteriza uma morte fria, “sem lágrimas”. Dessa forma, devem ir para UTI àqueles pacientes que possuem chances de  sobreviver, visto que por mais que a medicina tenha evoluído bastante, ela ainda não consegue resolver a questão da imortalidade.

De acordo com alguns médicos, existem muitas condições clínicas em que não existe a possibilidade de reverter o quadro. A UTI é sem dúvida muito importante para o avanço terapêutico, mas a rotina que impõe ao paciente é difícil, visto que o paciente tem que ficar separado dos familiares, passa por uma mudança brusca de hábitos e está em um local onde, com toda certeza, não queria estar. Isso acontece para a própria segurança do paciente, que precisa estar em um ambiente onde não ocorra a movimentação de muitas pessoas e tenha o mínimo de ruídos, para não colocar em risco a eficácia do tratamento.

A internação nas Unidades de Tratamento Intensivo não é a solução para todos os tipos de pacientes. Devemos ter consciência de que alguns deles devem ficar ao lado da família, passar seus últimos momentos recebendo carinho e atenção, e não em um local onde não conhecem ninguém, cercados por aparelhos.

A UTI foi criada para retirar o paciente de um estado crítico de saúde com perigo iminente de morte e colocá-lo em uma condição que possibilite a continuidade do tratamento da doença que o levou a tal estado, desde que ele tenha condições de sobrevivência.

Câncer de Próstata

O Câncer de Próstata é o segundo tipo de câncer que mais afeta os homens e o mais frequente nos que já passaram dos 50 anos. A boa notícia é que ele tem cura, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido para que os homens se previnam da doença e não sejam vítimas dela. O ideal é que o homem tenha consciência de que o diagnóstico antecipado é a melhor maneira de evitar futuras complicações, antes mesmo de perceber os primeiros sintomas do da doença, até porque no estágio inicial ele raramente apresenta sinais. Quando o câncer de próstata é diagnosticado e tratado no início, a chance de cura pode ser de até 90% dos casos.

Projeto “Água do Rio das Flores”

O projeto “Água do Rio das Flores” é realizado em parceria entre a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), a Fundação Educacional Dom André Arcoverde (FAA) e a Concessionária Rio Galeão, e tem como meta o plantio de mais de 1 milhão de mudas de árvores nativas próximas a margens de rios e nascentes. Saiba mais sobre esse grandioso projeto acessando https://goo.gl/hABGwA

Câncer de Colo de Útero

O câncer de Colo de Útero é um tipo de câncer que demora muitos anos para se desenvolver. As alterações das células que dão origem ao câncer do colo do útero são facilmente descobertas no exame preventivo. A principal causa é a infecção por alguns tipos de vírus chamados de HPV- Papiloma Vírus Humano. O Papanicolau é um exame que deve ser prioridade de todas as mulheres sexualmente ativas. Mulheres que já tiveram atividade sexual e têm entre 25 e 64 anos devem fazer o exame periodicamente. Mulheres grávidas também podem fazer o exame a não ser que tenham restrições médicas. O ideal é realizá-lo uma vez por ano. o exame é simples e eficiente. É feita a coleta de material do colo do útero com uma “colher de raspagem”, o que é rápido e indolor, pode causar certo incomodo, porém é pouco.

Os exames como a forma mais eficaz de prevenção de doenças

Como já diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar. Os médicos aconselham que se faça anualmente um check-up com os exames de rotina, para que se possa averiguar como anda o funcionamento do seu organismo. No caso de uma doença como o câncer, essa prevenção ganha uma importância ainda maior, já que define o limite entre a cura e a adoecimento.

 A detecção precoce é um dos métodos mais eficientes utilizados para o diagnóstico do câncer. No caso do câncer de mama sabe-se que 95% dos casos diagnosticados no início têm possibilidade de cura. Muitas das vezes, a doença é notada pelo aparecimento de um nódulo indolor através do autoexame da mulher ou até mesmo pelo exame médico. Porém a mamografia é ainda o método inquestionável e fundamental para o diagnóstico precoce, e consequentemente para a descoberta do câncer de mama. Quanto antes houver a descoberta do tumor, maiores serão as chances de sucesso do tratamento.